Blog                                                                                                                                                                                                           Facebook        Twitter         Youtube                                                                                                             
Sandra Fayad Bsb
Proseando em Versos
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos


Episódio 32- Minha vida em Brasília:
Seis meses após a contratação, eu ainda sentia saudades da Escola e das crianças, ma já me considerava parte integrante do quadro funcional do TCU. As novidades eram tantas e tão excitantes que não havia tempo para pensar no que ficou para trás. Lia e eu fazíamos quase tudo juntas. Continuamos trabalhando no Setor de Pessoal, que foi transformado em Departamento e dividido em dois Serviços. Um examinava processos de concessão de aposentadorias, quinquênios, funções comissinadas, salário-família, etc. O outro era o Serviço de Cadastro, que mantinha atualizados manualmente as fichas com os dados pessoais e funcionais dos servidores. Fiquei no Serviço de Processos e a Lia no de Cadastro, em salas separadas, mas contiguas. Meu primeiro chefe era o Sr. João, um doce de criatura, gentil, branquinho, magro, curvadinho. Havia também três senhoras e um servidor novo que era logosófico e tinha um problema de sudorose forte. O Sr. João orientou-me para ir aprendendo o serviço com as senhoras, que já contavam tempo para se aposentar. Esperavam apenas a chegada dos novatos. Em poucos meses eu já dominava todas as tarefas do Serviço. Redigia Pareceres sem rasura com aquela letra redondinha de professora, fazia anotações em fichas, fornecia informações por telefone, encaminava e dava baixa em processos. As senhoras ficaram sem ter o que fazer e o colega novo cuidava apenas de um fichário.
Chegou o dia da matrícula na Faculdade. Lia e eu não cabíamos em nós mesmas de tanta felicidade. Foi necessário fazer vários cálculos, porque os custos iniciais eram altos: matrícula, mensalidade, livros, material básico.
Sandra Fayad Bsb
Enviado por Sandra Fayad Bsb em 27/05/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras