Blog         Instagram   Facebook    Twitter   Youtube
 
Sandra Fayad Bsb
Proseando em Versos no Minhocário de Palavras
Áudios
AUTO DE OUTONO
Data: 15/04/2007
Créditos:
Poesia de autoria de sandra Fayad, na voz de Celso Brasil, diretor do Projeto Cultural ABRALI
Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
AUTO DE OUTONO

AUTO DE OUTONO

Similar à dança sensual de uma odalisca,
Folhas bailam como um véu mulçumano.
Silenciosas, movimentam-se maduras,
E vão pousar discretas sobre o real trono,
Pintado de marrom com verdes ranhuras.

Descem empurradas pelo vento leve.
Solitárias ou em pequenos grupos,
Vão criando caramelos colchões de neve,
Leito móvel que estala sob os pés descalços
Da poesia, que a tudo assiste e descreve.

Tons pastéis são molduras do cenário
Pincelado por ipês roxos, abacates, amoras,
Que surgem como quem sai do armário
Á noite, surpreendendo as auroras,
Cada dia, com seu novo vestuário.

Instala-se e cumpre à risca o seu papel.
Irreversível, segue o ritmo da ventania.
Depois marcha para o deserto, a tropel.
Vai enxugar a voz do cantor ao meio-dia
E ralar a mão do escultor, com seu cinzel.

Dará por fim boas vindas ao forasteiro,
Reverenciando-lhe a chegada com chapéu
E retira-se, entregando o comando inteiro,
A quem dominará a cena como menestrel.
Bsb, 12/04/07
http://www.sandrafayad.prosaeverso.net/
Enviado por Sandra Fayad Bsb em 15/04/2007
Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Site do Escritor criado por Recanto das Letras